Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Saúde e Bem-estar

O Saúde e Bem Estar é um blog dedicado à divulgação e partilha de conselhos para adopção de uma vida mais saudável.

O Saúde e Bem Estar é um blog dedicado à divulgação e partilha de conselhos para adopção de uma vida mais saudável.

Saúde e Bem-estar

20
Dez17

Nutricionismo: a importância de cozinhar a própria comida

Maria Martins

vegetais-conservantes.jpg 

 

Sou uma acérrima defensora de cozinhar a própria comida em casa. Desde que comecei a cuidar mais de mim e a frequentar as consultas de nutrição, cheguei à conclusão que, ou preparo as minhas próprias refeições, ou estou destinada a alimentar-me mal. Às vezes acreditamos que não - que há restaurantes de cozinha rápida saudáveis, restaurantes vegetarianos bons e toda uma panóplia de opções na “praça da alimentação” do shopping mais próximo. Mas quando prestamos atenção ao detalhe…

 

A comida pré-feita tem uma quantidade enorme de conservantes. Quase toda a comida que nos servem nos restaurantes de comida rápida tem uma quantidade enorme de conservantes. Isto aumenta a validade do produto e permite distribuí-los por todos os restaurantes de cada cadeia. Mas acham que são saudáveis? Todos os nutricionistas concordam ao dizer que não. Cozinhar a própria comida é a única forma de nos certificarmos que estamos a comer comida fresca, sem conservantes em exagero.

 

fritos-sal-gordura.jpg

Conseguem ver o sal e os restos dos outros fritos? Yuck.

 

Além dos conservantes, têm uma quantidade elevadíssima de gordura e de sal. Quando me tornei vegetariana, pensei que finalmente ia conseguir fazer uma alimentação saudável mesmo quando como fora. Enganei-me! Não é por um restaurante ser vegetariano que usa azeite extra virgem, que é o recomendado pelos nutricionistas, ou que muda o óleo dos fritos com regularidade. Aliás, nem sequer é garantia de que use alimentos frescos: os vegetais podem perfeitamente ser congelados!

 

Depois, há a questão dos alergénios. Não sei se é o vosso caso, mas quem tem intolerâncias alimentares tem ainda menos opções. Intolerância à lactose, ao glúten, ao amendoim, aos frutos secos, à soja… Muitos restaurantes não avisam de antemão para a presença destes alergénios e não têm cuidado com a contaminação cruzada. Cozinhar a própria comida em casa é uma garantia de o que não estamos a consumir nada que não devemos.

 

De onde vem a comida que comemos nos restaurantes? Esta seria a chamada “million dollar question”. Quando vamos a um restaurante, nunca sabemos o que estamos realmente a comer. Serão ovos de galinhas criadas ao ar livre? Os legumes são biológicos? 99% das vezes, a resposta é não - sim, mesmo quando vamos a restaurantes “saudáveis” e/ou vegetarianos. A mim, mais do que comer ou não comer certos alimentos, o que mais me preocupa são os pesticidas na cadeia alimentar.

 

Por isso, ao longo das consultas de nutrição, comecei a criar refeições saudáveis, equilibradas e fáceis de preparar que levo todos os dias na minha marmita. Se pareço um alien? Às vezes. Mas sei que estou a fazer uma refeição cruelty-free, com uma pegada ecológica baixa e que dá energia suficiente para o resto do dia. Prometo partilhar aqui mais dicas de nutricionismo em breve!

 

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D